5 dicas para criar um negócio de impacto social

Em entrevista a Pequenas Empresas & Grandes Negócios, Carolina de Andrade, diretora-executiva da Social Good Brasil, deu dicas para quem deseja ser um empreendedor de impacto


18/04/2016 - Revista PEGN

Nos últimos anos, muita gente vem percebendo que abrir um negócio pode trazer benefícios que vão muito além de aspectos financeiros. É a percepção de que é possível empreender com um propósito, ou seja, melhorar a vida das pessoas e, de quebra, ganhar dinheiro com isso.

Negócio de impacto social é uma ideia que tem como principal foco a criação de uma solução que traga benefício direto a um grupo, na maioria das vezes de baixa renda. O lucro fica em segundo plano.

De acordo com Carolina de Andrade, diretora-executiva da Social Good Brasil, entidade focada em empreendedorismo e atividades sociais de Florianópolis (SC), quem tem um negócio de impacto social deve conhecer profundamente o que deseja resolver. “Os empreendedores muitas vezes pensam em soluções sem conhecer a fundo o problema. É importante dar um passo atrás.”

Em entrevista a Pequenas Empresas & Grandes Negócios, Carolina deu dicas para quem deseja ser um empreendedor de impacto. Confira:

1. Apaixone-se pelo problema
Não custa nada reforçar: você deve conhecer profundamente seu problema antes de propor uma solução. Quem tem um negócio de impacto social deve focar em melhorar a vida das pessoas e não em fazer sucesso com um produto. “Estude. Entenda o problema e apaixone-se por ele”, afirma Carolina.

2. Encarne o público-alvo
Também é importante entender bem as pessoas que se beneficiarão com sua solução. A diretora da Social Good elenca duas ferramentas que podem ser úteis nessa missão: a elaboração de um mapa de empatia, que elenca os sentimentos, dores, ações e objetivos de quem será atingido por seu trabalho, e a criação de personas, um personagem que seja um retrato do seu público-alvo e que ajuda o empreendedor a ver o que se passa na cabeça de outras pessoas.

3. Crie um modelo de negócio viável
Apesar de ter o lucro em segundo plano, um negócio de impacto social continua sendo um empreendimento. Portanto, a empresa deve se sustentar sozinha.

Não há problema em contar com ajudas externas como o crowdfunding, por exemplo. “É importante pensar em modelos de negócios com fontes de receitas mais amplas. O que importa é que a receita seja recorrente”, diz Carolina.

4. Valide suas hipóteses
A empatia é importante para que o empreendedor se coloque no lugar do seu público-alvo. Mas esse exercício de empatia formula apenas hipóteses do comportamento e da preferência de quem desfrutará de sua solução. O próximo passo é validá-las.

Para isso, converse com seu público. Vá para a rua. “Não fique planejando tudo de dentro do escritório. Construa uma solução junto com seus usuários e não para eles. Esta é a melhor forma de validar seu projeto”, afirma Carolina.

5. Não tenha medo de errar e mudar
Na validação do negócio, você perceberá que o exercício de empatia é eficaz, mas que pode haver erros. Nessa hora, não tenha medo de mudar seu projeto e criar algo diferente. Lembre-se: o objetivo de um negócio de impacto social é solucionar um problema e não desenvolver uma solução.

Aliás, mesmo após lançar seu protótipo, correções poderão ser feitas e isso é normal. “A fase inicial de uma startup é puro aprendizado. Não tenha medo de mudar e tente outros caminhos”, diz Carolina.

Social Good Brasil Lab
O Social Good Brasil está com inscrições abertas para o Lab, programa de aceleração para negócios de impacto social. Para se inscrever, basta produzir um vídeo explicando o problema social que pretende solucionar e responder a outras três perguntas. O material deve ser enviado até o dia 17 de abril neste link.

Fonte: http://revistapegn.globo.com/Empreendedorismo/noticia/2016/04/5-dicas-para-criar-um-negocio-de-impacto-social.html


Receba notícias e informações sobre o Canal do Empresário