Campus do Google em SP abre as portas


07/06/2016 - Folha PE

Diferentemente de outros campi da empresa, start-ups serão selecionadas pela companhia

O Google inaugura nesta segunda-feira (13) seu campus em São Paulo, o primeiro na América Latina e o sexto no mundo. Com o prédio, localizado na região da avenida Paulista, a empresa quer abrigar start-ups e fomentar o empreendedorismo na região.

Diferentemente dos campi de Londres, Tel Aviv (por onde passou o aplicativo Waze), Seul, Madri e Varsóvia, os negócios serão selecionadas pelo próprio Google e não pagarão nenhuma contrapartida pelo uso do espaço à empresa.

“Optamos por esse modelo porque queremos estar mais próximos das start-ups e também pelo perfil socioeconômico local, para evitar selecionarmos apenas aqueles que podem pagar. Queremos diversidade”, diz André Barrence, diretor do Campus São Paulo.

O projeto foi apresentado nesta terça (7), com participação do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), para quem o prédio “rompe a fronteira entre o público e o privado”. Ele recebeu o primeiro cartão de acesso ao campus.

O local, de cerca de 2.600 metros quadrados, foi desenhado para ter a “cara do Google” com um “quê de São Paulo”: à arquitetura moderna, com poucas divisórias e muitas redes, misturam-se salas de reuniões temáticas, como a “Ano Novo Chinês” (referência ao bairro da Liberdade, com um dragão usado na celebração pendurado do teto) e a “Bumba Meu Boi” (com a figura folclórica).

Na entrada, uma chapa de aço do chão ao teto foi furada para escrever “Campus São Paulo” em linguagem binária.

Nos últimos dois andares, há um café, que serve também refeições e cerveja, e um salão de jogos, com mesa de sinuca e sofás, abertos ao público em geral de segunda a sexta, das 9h às 19h.

Para entrar, o interessado deve fazer um cadastro no site. Até junho, cerca de 7.100 pessoas já haviam se inscrito na “comunidade”. A ideia é que o espaço funcione como um local de networking -cartões de visita podem ser colocados com pregadores em fios de aço ao lado das escadas.

Há também dois auditórios: um com recursos de última geração, e outro menor, mas que pode ser usado para qualquer evento, desde que seja gratuito e ligado a empreendedorismo e tecnologia.
O Google não revela quanto investiu no projeto, anunciado em junho de 2014.

Residência

O chamado “programa de residência” funciona nos moldes de uma incubadora -a empresa não adota o termo porque acredita que incubadoras tendem a manter start-up por um período muito longo, diz Barrence.

Nele, cerca de dez start-ups serão selecionadas pelo próprio Google para se instalar no espaço por um período de seis meses, renováveis por mais seis. Para elas, o acesso é liberado 24 horas por dia, sete dias na semana.

Além de acesso à infraestrutura do prédio, como wi-fi e armários, as empresas poderão se candidatar a programas de imersão no Vale do Silício e receberão mentoria de especialistas na área.
Não há nenhum tipo de investimento previsto, mas a possibilidade não é descartada.

O período de inscrições vai de 8 de junho a 8 de julho. O Google procura modelos de negócio inovadores, com uma equipe diversa de até oito pessoas, que trabalhem um problema de grande impacto. O resultado da primeira seleção será anunciado em 5 de agosto.

A empresa também planeja oferecer programas para públicos específicos, como o “Campus for Moms” (campus para mães). De duração mais curta, a ideia é capacitar empreendedoras com filhos por meio de mentorias e workshops ao longo de seis encontros, uma vez por semana.

Iniciativas voltadas para mulheres e negros também devem ser criadas, afirma Fernanda Caloi, gerente da área.

Outra forma de acesso ao espaço é por meio de parceiros, como o Launchpad Accelerator -braço de aceleração do Google-, o Techstars, que organiza o Startup Weekend, e a Startup Farm, aceleradora que abrigou a Easy Taxi.

CEAGESP

Haddad falou sobre projetos da prefeitura voltados ao empreendedorismo, como a criação de um espaço para economia criativa onde hoje é o Ceagesp, na Vila Leopoldina. A ideia -antiga- deve ser formalizada por empreendedores interessados nos próximos 30 dias, disse o petista.

“Serão 3,5 milhões de metros quadrados de área construída para o bairro mais hipster de São Paulo, como os empreendedores gostam de dizer”, afirmou.

O plano é oferecer incentivos fiscais para instalação de empresas no local, “mas que devem ser combinados com outras esferas de governo”, disse.

Serviço

Google Campus São Paulo
A partir de 13 de junho, de segunda a sexta, das 9h às 19h
Rua Coronel Oscar Porto, 70

Fonte: http://www.folhape.com.br/economia/2016/6/campus-do-google-em-sp-abre-as-portas-0073.html


Receba notícias e informações sobre o Canal do Empresário