Máquinas automáticas vendem de produtos de beleza a buquê de flores


19/05/2014 - G1 | Economia | PEGN TV

Equipamentos ficam em lugares movimentados, como metrô e shoppings. Negócio é enxuto – sem funcionário e com aluguel baixo – e rentável

O autoconsumo é uma tendência forte de mercado e as máquinas automáticas vêm ganhando cada vez mais novas possibilidades. Em São Paulo, já é possível comprar buquês de flores e produtos de beleza neste tipo de equipamento.

As empresárias Lis Saba e Lívia Valim têm duas máquinas de produtos de beleza – como esmaltes, removedores, unhas postiças, pinças, lixas, adesivos para unhas e produtos de higiene pessoal – instaladas em estações de metrô da capital. A escolha do local não foi aleatória; no metrô, é grande o fluxo de pessoas que precisam de serviços rápidos.

Uma delas funciona na estação Paraíso, integração entre as linhas azul e verde do metrô. A máquina é automática, basta colocar o dinheiro e selecionar o item desejado. O investimento foi de R$ 30 mil. Só neste equipamento, elas vendem cerca de mil itens por mês. A reposição de produtos é diária mas, por enquanto, não foi preciso contratar funcionários.

Os itens mais baratos têm mais saída, como o elástico de cabelo que custa R$ 2. O produto mais caro é a unha postiça, vendida a R$ 20. A expectativa das empresárias é instalar mais 13 equipamentos até o fim do ano.

O retorno do negócio é alto. “A gente está faturando cerca de R$ 9 mil por mês, em cada máquina, e como a gente não tem tanto custo, não tem custo de funcionário, o aluguel é baixo, então, o lucro está variando entre R$ 3.500 e R$ 4 mil por mês, por máquina”, explica Lívia.

Flores

Outra novidade no segmento do autoconsumo são as máquinas automáticas para vender flores. O interessado escolhe o buquê, paga com cartão de débito ou crédito, e retira o produto na hora.

A ideia é da empresária Fátima  Casarini, que comprou três máquinas e montou um centro de produção de buquês de flores. Ela investiu R$ 300 mil no negócio.

Fátima adaptou a velha máquina de salgadinhos para vender os buquês. O equipamento refrigera, umedece e conserva as flores. Depois que elas saem da máquina, ainda duram cerca de nove dias.

O negócio é enxuto e rentável. O equipamento ocupa apenas 1 m² do shopping, fica encostado em uma coluna, o aluguel é menor que o de uma loja ou quiosque e não é preciso contratar vendedor. A previsão da empresária é que a máquina fature R$ 21 mil por mês.

Fonte: http://g1.globo.com/economia/pme/noticia/2014/05/maquinas-automaticas-vendem-de-produtos-de-beleza-buque-de-flores.html


Receba notícias e informações sobre o Canal do Empresário